Quando a gente pensa que sabe todas as respostas,vem a vida e muda as perguntas

30
Jul 09

Não há como uma campanha eleitoral para pôr a máquina judicial a mexer. Tantas vezes inalcançável para o comum dos mortais, a justiça torna-se, nesta época festivaleira, uma arma de arremesso política que serve tanto a esquerda como a direita “.

Pedro Norton,”Visão”, 30.7.2009

 

publicado por José Manuel Constantino às 12:09

29
Jul 09

O PS anuncia uma medida pecuniária sobre a forma de prémio a quem fornica sem adoptar procedimentos contraceptivos e a malta começa logo a malhar e a fazer contas que 200 euros agora são apenas 500 daqui a 18 anos. E que é demagogia. E que é por causa das eleições .E outras coisas que só revelam má vontade. Esquecem-se de uma coisa básica, que certamente o programa socialista prevê: a actualização anual do prémio, se possível acima do valor da inflação. E a progressividade: 200 para o primeiro filho; 250 para o segundo e assim sucessivamente;uma taxa de bonificação para os gémeos .São estes “pormenores”que distinguem a esquerda moderna dos velhos do Restelo…

publicado por José Manuel Constantino às 18:09

28
Jul 09

Nada melhor que um estudo académico para sustentar as políticas. Como no manifesto dos economistas aguardam-se agora as várias réplicas para os diferentes gostos.

publicado por José Manuel Constantino às 20:51

27
Jul 09

Os clubes desportivos, por norma, quando entendem haver vantagem em adquirir um atleta que milita num outro clube, aliciam – no através da oferta do aumento das contrapartidas. Parece que nos partidos políticos as coisas se teriam de passar de modo distinto. E que valores mais altos impediriam que assim se procedesse. Tenho dúvidas. E como a Joaninha, e bem, deixa correr o ouro remetendo-se, para já, a um sábio silêncio, ainda não compreendi o que exalta Sócrates e do que se queixa Louçã .O Bloco sempre pescou nas aguas do PS.E o PS precisa como pão para a boca de o fazer em relação ao Bloco.Para quê  tanta virgem ofendida?

publicado por José Manuel Constantino às 18:26

24
Jul 09

Tenho por Manuel Alegre a admiração e o apreço que resultam dele pertencer a uma geração que passou a prova de fogo de lutar pelas liberdades públicas e de que foi uma referência, entre muitos outros. Mas entendo que o que vale politicamente como deputado é bem mais do que passa a valer com cidadão ainda que politicamente interveniente. Parece que fica  com mais tempo para escrever .Já é bom.

publicado por José Manuel Constantino às 12:26

23
Jul 09

Erros médicos sempre os houve. E vão continuar a haver. Por vezes irreparáveis. Mas se surpreende ,por vezes, as circunstâncias em que ocorrem ,surpreende ainda mais o modo suave como as autoridades médicas e hospitalares tratam os responsáveis por esse erros. E como reparam as vítimas dos mesmos. Não refiro apenas esta situação agora ocorrida. Sei-o por experiência própria. E precisamente no Hospital de Santa Maria.

publicado por José Manuel Constantino às 12:36

20
Jul 09

Depois da Igreja, aguarda-se que as autoridades do futebol definam os termos quem que os golos podem ser comemorados. Certo é, seguramente, que o recente hábito de beijar quem marca o golo não vai mais ser possível, mas as palmadinhas no rabo não deve ser factor de risco transmissível.....

publicado por José Manuel Constantino às 16:55

17
Jul 09

Não está em causa o relatório do Tribunal do Contas sobre os negócios do Governo com a Liscont. Mas um princípio elementar de respeito e de legalidade a que o próprio Tribunal está obrigado. Pela enésima vez um relatório do Tribunal de Contas já está na comunicação social ,com pormenores sobre como decorreu a reunião em parece que foi aprovado, mesmo antes de ser dado conhecimento aos envolvidos ,neste caso o governo. Seria bom que o Tribunal de Contas, preocupado e bem com a corrupção e a defesa dos interesses do Estado, estivesse também atento à corrupção ética e moral que é passar para o exterior matérias que estão obrigadas a procedimentos de divulgação que em primeira instância dizem respeito aos directamente envolvidos.

publicado por José Manuel Constantino às 13:07

16
Jul 09

O natural seria que cada um pagasse a sua conta. Mas sobre contas de jantares e almoços qual é a regra na generalidade dos ministérios? As remunerações de titulares dos cargos públicos são suficientes para pagar a regularidade de refeições em restaurantes de topo? Mas não é tudo contabilizado como reuniões de trabalho e pagas com recurso aos fundos de maneio? Não sabem os ditos restaurantes como designar certo tipo de despesas eventualmente menos ortodoxas como despesas de refeição?E o mesmo  se não passa em muitos institutos públicos ?

publicado por José Manuel Constantino às 12:47

15
Jul 09

A caricato da situação não está no facto de Pedro Santana Lopes acusar António Costa de recear perder as eleições e por isso forçar acordos à esquerda, no exacto momento em que o próprio, pelas mesmíssimas razões, celebra acordos à direita. É que com este tom e qualidade políticas, a que se seguirá o já habitual cortejo dos mandatários, dos directores de campanha,das comissões de honra, dos desportistas, dos intelectuais, dos empregados de limpeza e dos almoços e jantares com os taxistas e outras categorias relevantes do povo,pode não haver tempo para discutir as propostas que tornem Lisboa, menos um ritual de propaganda sobre as colinas,a luminosidade e outras banalidades e mais um sítio onde dê prazer ir e voltar. Coisa que de há muito Lisboa perdeu.

publicado por José Manuel Constantino às 16:37

Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
18

19
21
22
25

26
31


Autor: JOSÉ MANUEL CONSTANTINO
pesquisar
 
blogs SAPO