Quando a gente pensa que sabe todas as respostas,vem a vida e muda as perguntas

31
Ago 11

Miguel Relvas, o Ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares é uma espécie de porta-voz do governo. Não passa um dia em que não anuncie qualquer coisa que o governo vai fazer. É-lhe indiferente estar numa reunião institucional, num jogo de futebol ou numa reunião partidária. Pode ser bom este frenesim comunicacional. Resguarda o primeiro –ministro. Mas tal como a falta de água ou água a mais pode matar a planta, com a comunicação política passa-se o mesmo: é tão perniciosa a mais, como a menos.E embora o falar não esteja sujeito,por enquanto, a qualquer imposto fiscal, convém não esquecer,que quem ouve também se cansa e que a partir de determinado momento quem fala tanto, já não se faz ouvir.

publicado por José Manuel Constantino às 12:36

30
Ago 11

O relatório e contas anual de cada empresa municipal é apreciado/aprovado pela entidade accionista (Câmara Municipal) e do seu resultado dado conhecimento à Assembleia Municipal. Cópia dos mesmos é enviada para o Tribunal de Contas. E obrigatoriamente publicitado em um meio de comunicação social e no site da empresa, caso exista. Pelo que é um absurdo poder admitir-se que os respectivos gestores se possam eximir a prestar contas ao accionista e a não divulgar publicamente os resultados das empresas que gerem. Bom seria que este assunto, das empresas municipais, fosse avaliado pelo mérito/demérito das mesmas na prestação do serviço público e na sua eficiência e não por questões de folclore político como este.

publicado por José Manuel Constantino às 10:58

29
Ago 11

Contabilizam-se o número de nomeações políticas feitas pelo actual Governo. E a primeira tendência é comparar esse número com o do governo anterior. É um exercício possível. Embora a orgânica do actual governo seja diferente do anterior.E portanto o número de nomeações dever ser menor.Mas fica sempre a dúvida se não seria possível trabalhar com menos gente. Mas mais importante que o número de nomeados é a qualidade dos mesmos.E aí a ausência de publicação dos registos curriculares dos nomeados impede uma avaliação com um mínimo de consistência.E menos nomeados podem, apesar de tudo, ainda ser de mais.

publicado por José Manuel Constantino às 11:30

25
Ago 11

PSD e CDS coligaram-se para formar um governo para o País.O que devia obrigar a contenção mútua naquilo que os divide.Mas não.Na região autónoma da Madeira, no contexto das eleições regionais, o que vão fazendo e dizendo, uns dos outros, desafia o elementar bom senso de quem assumiu perante o País a responsabilidade de o governar.E não me parece que a especificidade de uma eleição regional não tenha efeitos no todo nacional.

publicado por José Manuel Constantino às 16:55

23
Ago 11

Não verto uma lágrima por Khadafi. Mas ao ver na televisão gente fortemente armada, entre os quais muitos jovens, obedecendo não sei a que comando, a disparar tiros para o ar como manifestação de alegria, interrogo-me sobre se vai ser possível,derrrotado o regime, desarmar os civis e colocar ordem numa sociedade daquelas.

publicado por José Manuel Constantino às 11:39

22
Ago 11

Neste caso, como em tantos outros, foram mais olhos que barriga. O valor dispendido não foi nada por aí além, mas a situação actual revela que, contrariamente ao então anunciado, a autarquia estava longe de saber o que fazer com o imóvel. Cavalgou a corrente anti-touradas, mediatizou a opção- como se de um acto libertador se tratasse- e hoje o problema permanece por resolver. Apesar de, como é habitual,quanto ao futuro, não faltem palpites .Resta penas um pequeno problema: concretizar.

publicado por José Manuel Constantino às 12:21

19
Ago 11

Penso para com os meus botões: o que pensar de quem critica ( e bem ),Pedro Passos Coelho por dizer uma coisa e fazer outra, mas que nunca encontrou em  José Sócrates um devoto praticante dessa cartilha. Ou não?

publicado por José Manuel Constantino às 12:45

18
Ago 11

Não sei se esta notícia é verdadeira ou não. Mas se o for é um mais um sinal que a mudança de governo,embora se defenda o contário, não muda necessariamente as (más) práticas.Ainda por cima a propósito de uma instituição(RTP)cujo futuro se ignora qual seja e  que o governo mandou estudar.

publicado por José Manuel Constantino às 12:45

17
Ago 11

Aqui.

publicado por José Manuel Constantino às 17:28

16
Ago 11

Pedro Passos Coelho, quando estava na oposição defendia cortes na gordura do Estado. É certo que nunca indicou concretamente onde o faria. Agora, como governo, criticado por estar a fazer o que antes negava - aumentar nas receitas fiscais e não reduzir as despesas do Estado -, anuncia que todos os dias corta na despesa primária do Estado. É capaz de ser verdade. Seria bom para todos, governo e governados, conhecer onde e os valores envolvidos.

publicado por José Manuel Constantino às 12:49

Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
20

21
24
26
27

28


Autor: JOSÉ MANUEL CONSTANTINO
pesquisar
 
blogs SAPO