Quando a gente pensa que sabe todas as respostas,vem a vida e muda as perguntas

08
Fev 12

A forma trapalhona como o governo decidiu e geriu a decisão de não conceder tolerância de ponto aos funcionários públicos na terça-feira de Carnaval em nada pode explicar ou justificar que essa decisão esteja a ser politicamente desautorizada por outras entidades públicas, designadamente regiões autónomas e autarquias. Sempre que autoridade do Estado é colocada em causa perde o país. Pode até haver legitimidade jurídica para cada um fazer como bem aprouver. Mas a autoridade a que me refiro é de âmbito político. O país não pode ser constituído por vários portugais. Em que as coisas, para os funcionários públicos, funcionam de uma maneira num sítio e de uma maneira completamente diferente em outro. Não é fácil ser prior nesta freguesia. E as coisas pioram quando se não cuida da liturgia.

publicado por José Manuel Constantino às 15:14

Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
18

19
24
25

26
27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Autor: JOSÉ MANUEL CONSTANTINO
pesquisar
 
blogs SAPO