Quando a gente pensa que sabe todas as respostas,vem a vida e muda as perguntas

02
Fev 06
Bill Gates decidiu realizar a Conferência Anual Europeia da Microsoft em Portugal rompendo com a lógica de a realizar no país que tem a presidência da União Europeia. Esta decisão é positiva para Portugal o que revela que a diplomacia portuguesa trabalhou bem.
Portugal esteve por dois dias no centro das atenções de tudo ,e é muito ,o que acompanha a vida do patrão da Microsoft.
O governo português capitalizou, e bem , esta presença e deu novo impulso às suas preocupações em matéria de avanço tecnológico.
Resta uma questão: o que fez Bill Gates alterar um procedimento habitual e vir ao nosso país.
Portugal é um mercado insignificante para a Microsoft. Bill Gates não altera procedimentos empresariais para fazer conferências, receber homenagens, participar em jantares, dar entrevistas e reportagens e mergulhar num certo provincianismo lusitano perante “o homem mais rico do mundo”.Tudo o que faz é movido pelas suas preocupações de negócio, incluindo o seu lado assistencial e de solidariedade sempre fáceis para quem tem os meios financeiros que são conhecidos.
Enquanto nos ocupamos com a agenda mediática composta á distância pelas diferentes assessorias de imprensa do governo, tenho para mim que a política pura e dura se vai fazendo longe dos olhares do grande público.
O Presidente da Comissão Europeia (Durão Barroso) veio de propósito a Portugal para se encontrar com um empresário que tem gozado em muitas partes do mundo, designadamente na Europa, de uma espécie de monopólio de ajuste directo. A Comissão tem em mãos, um processo de contencioso com a Microsoft e com a presumível violação das regras de concorrência a que o espaço da União está obrigado. A deslocação de Durão Barroso foi uma acto de cortesia ou a “cortesia” da visita de Bill Gates a Portugal apenas o cenário ideal para uma negociação complicada e muito polémica face aos valores que estão em causa?Se o português Durão Barroso não garantisse a sua presença teríamos na mesma a visita de Bill Gates?
Costuma dizer-se que não há almoços grátis. E há visitas grátis?
publicado por José Manuel Constantino às 09:14

Fevereiro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
18

19
25

26
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Autor: JOSÉ MANUEL CONSTANTINO
pesquisar
 
blogs SAPO