Quando a gente pensa que sabe todas as respostas,vem a vida e muda as perguntas

26
Abr 12

No 25 de abril de 74 houve vários 25 de Abril. O dos que conspiraram. O dos que ajudaram os que conspiraram. O do povo que se associou ao ato. E tudo o que começou a partir do momento em que Marcelo Caetano não quis entregar o poder a Salgueiro Maia e tiveram de ir buscar o general Spínola.Contrariamente a uma certa displicência, com que comentadores e cronistas tratam o tema, a narrativa do processo democrático então iniciado, está muito para além da motivação inicial do golpe militar. Um certo folclore associado à data permitiu que durante anos ela fosse sequestrada para comemorar não o máximo denominador comum –a liberdade- mas para questionar o  mínimo divisor comum -os resultados da  democracia. Só isso pode explicar que o presidente da Associação 25 de Abril possa dizer que a Assembleia da República já não representa os portugueses.

publicado por José Manuel Constantino às 15:15

Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13
14

15
17
21

22
24
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Autor: JOSÉ MANUEL CONSTANTINO
pesquisar
 
blogs SAPO