Quando a gente pensa que sabe todas as respostas,vem a vida e muda as perguntas

27
Dez 11

Não sei se é verdade ou não o conteúdo de noticias que começaram a circular a propósito das remunerações do maquinistas da CP. Qualquer que elas sejam, decorrem de contratos livremente celebrados na empresa entre empregadores e empregados. E se o respectivo sindicato tem dinheiro para pagar os dias de greve dos maquinistas a estes se deve porque para esse feito descontaram nos seus salários.É um problema que só a eles respeita. O problema é outro e diz respeito a todos nós.Os maquinistas da CP não ignoram a situação financeira da empresa onde laboram e o custo que tem uma paralisação  para uma empresa fortemente financiada com dinheiros públicos. É um custo para todos os contribuintes. E também sabem que no Natal e fim-de-ano muitos são os portugueses que precisam de se deslocar de comboio. Utilizar o dinheiro de todos e as necessidades de muitos para resolver problemas próprios por muito legítimo que seja o motivo da paralisação, é socialmente insustentável. E isto parece que os maquinistas e o seu sindicato não entendem.

publicado por José Manuel Constantino às 14:43

Antigamente a greve era dos mais explorados e dos que estavam na escala mais baixa da sociedade, contra os que os exploravam. Agora as greves são dos que tem os melhores estatutos e regalias das quais não querem abdicar, e que estão muito ben instalados na sociedade, contra os que estão abaixo deles na escala social e de rendimentos,. Está tudo subvertido...Os lóbis no seu melhor. Aproveitam-se de trabalhar numa empresa sem concorrência para tirar vantagem e prejudicar milhares de trabalhadores que se arrastam diariamente nos transportes públicos e que gostariam de estar no lugar deles.
Cambada de chulos.

Luz a 28 de Dezembro de 2011 às 11:16

Realmente nos dias que correm os empregados da CP não medem as consequências da paralização. Com todo o respeito que tenho por quem trabalha e quer ver melhorada a sua situação profissional, estes trabalhadores devem de pensar muito bem no que andam a fazer..... pois é preferivel ganhar menos mas ganhar o seu vencimento ao final do mês, do que não ganhar nada e acabar no desemprego como muitos trabalhadores infelizmente estão!!!!!!
marina a 28 de Dezembro de 2011 às 11:17

ESTAS EMPRESAS QUE SO DAO PREJUIZO , TEM OS FUNCIONARIOS COM SALARIOS DE DOUTORES E ENGENHEIROS , HA QUE A PRIVATISAR JA. ACABA-SE COM A PEÇONHA
bernardino soares a 28 de Dezembro de 2011 às 11:17

em estudo que realizo, peço autorização, com citação da fonte, para utilizar, por ser de extrema concisão e correção , a oração: "Utilizar o dinheiro de todos e as necessidades de muitos para resolver problemas próprios por muito legítimo que seja o motivo...é socialmente insustentável".
luiz teixeira a 28 de Dezembro de 2011 às 11:26

Convenhamos que toda a credibilidade dos argumentos dos maquinistas cai por terra se olharmos para o período escolhido (Natal e Ano Novo!). Até os sindicatos precisam de marketing para sobreviver e neste caso nitidamente não existe nenhum especialista nem leigo no assunto. A opinião pública está claramente contra eles. À mulher de César não basta ser séria..... Francamente Srs. maquinistas da CP, quaisquer outras datas menos estas!
Anónimo a 28 de Dezembro de 2011 às 11:45

Para enfrentar este lóbi só há uma maneira - Requisição Civil por tempo indeterminado e sem qualquer espécie de contemplações, ou então despedimento colectivo.
Francisco de Sousa a 28 de Dezembro de 2011 às 11:48

Custos da Greve - Prejuízos

durante o período da Greve, é verdade que a empresa deixou de obter influxos positivos, provenientes estes da receita da bilheteira.
Contudo também é verdade, que a empresa deixou de ter exfluxos negativos. Estes decorrentes dos gastos incorridos com os salarios dos maquinistas, e demais operadores em greve. Custos com a energia que não gastou, de entre outro.
Ponderados os Beneficios versos custos - Será que não teve Beneficio?

Será?


2ª questão
A quem atribuir as culpas
Aos maquinistas
Ou à incompetência do aparelho de gestão, devido ao timing em que escolheu para abrir os processos disciplinares. Sabendo-se de antemão, que uma das consequencias seria a greve dos visados. E Sabendo apriori, que o momento para a greve, seria o de maior impacto social.


Será que o conselho de Administração ainda está em funções?
Deve estar, porque estamos numa entidade que é financiada por todo o erario publico.
e se fosse numa entidade privada?

Estariam concerteza a engrossar as filas dos desempregados
Caldas a 28 de Dezembro de 2011 às 12:07

Todo o trabalhador têm direito á greve, dito isto pergunto aos maquinistas da CP, se esta greve é um braço de ferro com a entidade patronal ou com os utentes, porque fazer greve nos dias de natal e passagem de ano, não cumprir serviços minimos, só prejudica os utentes, será que daqui a 15 anos continuamos a ter estas greves com os mesmos trabalhadores, sindicatos e administradores da CP? será aceitável não haver um saneamento. Faço um apelo ao bom senso a todas as partes envolvidas, e lembrando que os vossos postos de trabalho não são vitalícios (pelo menos não deveriam ser), é vergonhoso para trabalhadores de € 600 e 700 e todos os desempregados que aceitariam de bom agrado os empregos e regalias deste senhores descontentes, e que se acham explorados, venham para o mundo real uns tempos....
HB a 28 de Dezembro de 2011 às 12:08

100% de acordo. É uma situação insustentável:(
Clarisse a 28 de Dezembro de 2011 às 12:17

UMA COMÉDIA ESTA DISCUSSÃO.

TENS RAZÃO, NÃO TENS RAZÃO....

SÃO TODOS UNS CHULOS, E AFINAL NINGUÉM É CHULO.

PREJUDICAM O PAIS MAS AFINAL SÓ ESTÃO A DEFENDER OS SEUS DIREITOS.

POR MIM:

ACABEM COM A MERDA DOS COMBOIOS. DEPOIS COM AS ADMNISTRAÇÕES. DEPOIS COM OS TRALHADORES. E JÁ AGORA APROVEITEM E ACABEM COM O PAÍS.

E DEPOIS ACABEM COM ESTA MERDA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL E COMUNICAÇÃO DE GENTE PARANOICA E DEMENTE.

ISTO É UMA CORJA DE DEMENNTES E MENTECAPTOS.
ELLOCO a 28 de Dezembro de 2011 às 12:33

Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
21
22
24

25
26
28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Autor: JOSÉ MANUEL CONSTANTINO
pesquisar
 
blogs SAPO