Quando a gente pensa que sabe todas as respostas,vem a vida e muda as perguntas

27
Dez 11

Não sei se é verdade ou não o conteúdo de noticias que começaram a circular a propósito das remunerações do maquinistas da CP. Qualquer que elas sejam, decorrem de contratos livremente celebrados na empresa entre empregadores e empregados. E se o respectivo sindicato tem dinheiro para pagar os dias de greve dos maquinistas a estes se deve porque para esse feito descontaram nos seus salários.É um problema que só a eles respeita. O problema é outro e diz respeito a todos nós.Os maquinistas da CP não ignoram a situação financeira da empresa onde laboram e o custo que tem uma paralisação  para uma empresa fortemente financiada com dinheiros públicos. É um custo para todos os contribuintes. E também sabem que no Natal e fim-de-ano muitos são os portugueses que precisam de se deslocar de comboio. Utilizar o dinheiro de todos e as necessidades de muitos para resolver problemas próprios por muito legítimo que seja o motivo da paralisação, é socialmente insustentável. E isto parece que os maquinistas e o seu sindicato não entendem.

publicado por José Manuel Constantino às 14:43

Para as pessoas que defendem que esta greve a coincidir com o Natal e passagem de Ano está bem marcada, só lhes desejo que fiquem privados de serviços públicos o ano todo, pois só dessa forma percebem o mal que os senhores maquinistas estão a fazer à população.

A grave é um direito, mas é para ser exercido com conta peso e medida, sob pena de se banalizar/descredibilizar esse direito...

Seria "bonito" ver Médicos e Enfermeiros juntos a fazer uma grave deste tipo por exemplo agora na pascoa, porque não :) ...

Já agora PSP e GNR juntos, a fazer uma greve anunciada, só com os serviços mínimos, já viu o problema que era, e estes não ganham 1500 Euros como os senhores maquinistas... estes ficam-se abaixo dos 1000€.

Nestas alturas até fico a pensar que a liberalização dos despedimentos seria benéfica, pois o que não falta é trabalhadores com vontade de ter formação para ganhar 1500€, mas isto já era um extremismo, e como em tudo na vida deve haver moderação, que foi o que estes senhores maquinistas e seus sindicatos não tiveram/tem...
Dani a 28 de Dezembro de 2011 às 12:35

Em Portugal toda a gente tem direitos mas não tem deveres. É por isto que estamos onde estamos.
O Direito à Greve foi adquirido num tempo em não havia a interdependência actual. A greve ficava na empresa e não afectava terceiros.
O português é egoísta e isso reflecte-se no estado do país. Os interesses sectários sempre serão mais importantes que o interesse da nação.
Por isso sempre seremos os escravos do ingleses, franceses e alemães.
joao Abreu a 28 de Dezembro de 2011 às 12:45

Os comunistas no seu melhor viva URSS...............................
carlos a 28 de Dezembro de 2011 às 12:47

Pois eu acho que se devia acabar com a CP! Fechar as portas!! Onde vivo não tenho transportes públicos e pela lógica que vejo aqui em muitos comentários, também não tenho obrigação nenhuma de andar a pagar para os senhores se poderem deslocar por meia dúzia de tostões.
Pois a 28 de Dezembro de 2011 às 12:50

Esta greve dos maquinistas da CP, demonstra mais uma vez um total desrespeito pelos utentes! O sindicato sabe que não necessita da satisfação dos seus clientes para que a empresa se mantenha no activo! Todos sabem que os salários (altos ou baixos) são pagos por todos os contribuintes. É ridículo o desprezo que o SMAQ tem demonstrado pelos utentes neste ultimo ano.
Dia 1 Janeiro é só mais uma greve que vai servir apenas para prejudicar os utentes. Se existem problemas com a Administração CP, existem outras formas legais junto da justiça para os resolver. Agora, por favor, deixem-me usufruir do meu passe social que tanto me custa a comprar todos os meses.
Joao a 28 de Dezembro de 2011 às 12:53

Sinceramente lamento a postura destes funcionários da CP.
Sou funcionário público, vi o meu salário cortado e não receberei nenhuns dos subsídios a partir do ano que vem.
Viajo todos os dias de comboio para o trabalho.
Não falando nos atrasos, que são muitos, ainda tenho que alterar rotinas e ir trabalhar de Penafiel para o Porto no carro particular.
Isso são mais despesas e mais incómodos, pois trazer o carro para o Porto e estacionar durante todo o dia, não é fácil, nem barato.
Acresce que todos os meses pago o meu passe, que são cerca de 50 euros...A CP fica com o nosso dinheiro e nós não podemos viajar na mesma...

Estou completamente contra estes funcionários e sinceramente já não posso ouvir falar neles.

A greve é um direito constitucional, sim, eu sei. Mas o trabalho também é um direito constitucional e uns direitos não se devem sobrepor aos outros.

Não concordo com estas greves e se houvesse justiça, deviam ser todos demitidos, todos...pois estão a causar transtornos a milhares de pessoas.
Pena é não haver alternativas aos comboios, pois se houvesse, devíamos todos esquecer os comboios e viajar noutros transportes, de tal forma a que a CP acabasse e eles viessem todos para o olho da rua.

Concluo dizendo que gostava de ver um movimento social organizado (pacifico e legal, obviamente) contra estes trabalhadores como forma de protesto com esta atitude irresponsável que estão a ter para com os utentes dos comboios.

Tenham juízo e acreditem que não falta quem queira trabalhar...por isso, se não estão bem, saiam e dêem lugar a quem quer trabalhar e até aceita ordenados mais baixos que os vossos.

Ainda quero ver a CP quando for privatizada e os joguinhos destes meninos...
manueltx a 28 de Dezembro de 2011 às 13:01

Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
21
22
24

25
26
28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Autor: JOSÉ MANUEL CONSTANTINO
pesquisar
 
blogs SAPO